Tempo de leitura: 5 minutos

Bitcoin é uma moeda digital!

Cada estado tem sua própria moeda. Estónia — Euro, Rússia – rublos, e os EUA – Dólares. Nós trocamos dinheiro em bancos ou em caixas de câmbio especializadas, para enviá-lo para qualquer lugar do mundo e investir. Hoje na época das tecnologias inovadoras, é lógico que todas as transferências se efetuam via Internet.

Em 2009, um programador desconhecido, sob o pseudônimo de Satoshi Nakamoto, criou o dinheiro eletrônico, ou seja, a criptomoeda, com funções semelhantes à moeda comum: um meio de troca, unidade de conta e de poupança. Mas há uma diferença significativa: não podemos ver e sentir o toque de dinheiro, porque é uma moeda digital e a sua operação ocorre de forma descentralizada, ou seja nenhum país tem o controle da moeda, sendo este exclusivamente de uma rede de computadores distribuídos.

Como funciona o bitcoin

Se, geralmente, para transferir dinheiro, precisamos usar intermediários, por exemplo um banco, com com a criptomoedas é muito mais fácil, pois o dinheiro é transferido diretamente para o destinatário, sendo cada indivíduo proprietário da sua própria carteira.

Criptomoeda é a moeda virtual que utiliza criptografia para mantê-la segura. Tal como a moeda impressa que tem números de série ou listras ocultas em seu interior para evitar falsificações, a criptomoeda utiliza códigos que são muito difíceis de burlar. Estes códigos são únicos, com uma legibilidade difícil de sequências de 27-34 letras latinas e cifras.

A maior parte das criptomoedas são criadas através de um processo de “mineração” (ingl. – Data mining – mineração de dados). Esse processo precisa de um computador com capacidade de processamento para resolver problemas matemáticos complexos.

Na verdade, o sistema é bastante complexo. A “Mineração” permite criar gradualmente um código dos novos bitcoins e leva a formação das unidades codificadas de pagamento que não estejam vinculados ao nome da pessoa e podem ser armazenados em uma carteira fechada ou em seu disco rígido. Nós só podemos ver as transações confirmadas e o número dos bitcoins presentes em cada carteira, porém é difícil relacionar uma carteira com um indivíduo, tornando difícil identificar a real propriedade da mesma. É possível enviar e-dinheiro em qualquer lugar do mundo, e embora as principais redes ainda não comportem um volume de transações globais, as transações são realizadas em poucos minutos.

Prós e contras da criptomoeda

“Bitcoin” – é a primeira moeda descentralizada e não controlável, o que significa que não está sujeita a inflação, porque o número das moedas no sistema cresce a uma certa velocidade, dependendo da oferta e da demanda das pessoas. O volume máximo possível de mineração foi fixado pelo seu criador em 21 milhões de Bitcoins. Além disso, é completamente ou quase anônimo, possuindo ainda muitas outras qualidades superiores. Por exemplo, todos os dados do sistema são armazenados no código-fonte aberto numa cadeia de blocos (blockchain), sendo que as comissões por cada transferência são consideravelmente baratas.

Apesar de ser inicialmente identificado como tal, o sistema de Bitcoin não é completamente anônimo. Não exige as informações de passaporte, mas existe a possibilidade de identificar o remetente com base na análise das transações. Esta caraterística pode ser encarada como uma desvantagem.

Entre os fatores negativos poderemos citar a carteira offline. Essa carteira pode ser descarregada em um PC mas uma eventual falha do disco rígido pode levar à perda total dos bitcoins. Por exemplo, um britânico fez 7500 Bitcoins em 2009 com o seu computador, mas por causa de um acidente (café derramado no seu teclado) teve que desmontá-lo, substituindo o disco rígido. Ao mesmo tempo, houve relatos na imprensa sobre a taxa de crescimento da criptomoeda, e esse homem, indo para o monturo não encontrou seu disco rígido, perdendo milhões de dólares. Existem muitas histórias parecidas, porque, antes, as moedas Bitcoin podiam ser “”produzidas”” em um PC simples, o que não acontece agora. Nessa altura só os “fanáticos” dos computadores é que lhe davam importância e mineravam por curiosidade e diversão.

Ok! O bitcoin é uma moeda digital e mais o quê?

É um sistema de pagamento eletrônico ponto a ponto (peer-to-peer). Se antes era possível ganhar dinheiro em Bitcoin, suportar a rede e se engajar na mineração, no momento atual isso não é mais tão viável. Precisamos de um PC muito potente que custa caro e se torna obsoleto rapidamente, o que significa a perda do dinheiro. No caso de investimento também não está claro se o acordo é benéfico porque a compra de Bitcoins se efetua atualmente por dinheiro real, não podemos saber qual será a taxa no futuro. A única solução, de acordo com o site oficial do «bitcoin», – é ter uma loja para vender bens por criptomoeda, mas têm dificuldade com isso. Alguns meses atrás, o Ministério das Finanças da Federação Russa apresentou uma proposta para proibir este método de pagamento no território do seu país. Isto significa que as pessoas não entendem completamente o conceito de Bitcoin e não o entendem como um meio de pagamento ou a oportunidade de ganhar, mas sim como uma nova pirâmide financeira. Entretanto essa visão equivocada está acabando e hoje podemos ver a moeda se valorizando diariamente, assim como sendo adotadas por diversas empresas como meio de pagamento.

Fonte: hashflare


Para aprofundar seu conhecimento sobre bitcoin e outras criptomoedas, deixo abaixo alguns links de referência:

https://pt.wikipedia.org/wiki/Bitcoin

https://pt.wikipedia.org/wiki/Altcoins


Dica: Ainda que você não tenha segurança para utilizar o Bitcoin ou mesmo não queira colocar o seu dinheiro nisso, se faz extremamente necessário que você procure se informar sobre o seu funcionamento e adesão. Tal atitude vai te fazer estar preparado para não perder oportunidades, dado a grande inovação que a tecnologia possui e que já está se propagando em vários sistemas e tecnologias paralelas.